domingo, 21 de junho de 2009

Resenha do filme O Aviador.

Resenha sobre o filme “O Aviador”
Ione Bolkenhagen
O nome original do filme é “The Aviator ”(O Aviador), é do gênero biografia/drama, tem origem nos Estados Unidos e foi lançado em 2004. O tempo de duração é de 170 minutos e a direção é de Martin Scorsese. O elenco principal é composto por Leonardo DiCaprio, interpretando Howard Hughes, Cate Blanchett, Kate Bechinsale e Gwen Stefani. Os principais prêmios e indicações que recebeu foram: Oscar, Globo de Ouro, Bafta, Prêmio Saturno e MTV- Movie Awards.
A história é baseada em fatos reais e conta a vida de Howard Hughes, que foi aviador, engenheiro, industrial, produtor de cinema, diretor cinematográfico e um dos homens mais ricos do mundo. Sua vida foi bem agitada com todas as suas manias e desejos, amantes e acessos de loucura. Na infância, a sua mãe o superprotegia, isolando-o de todos os germes ambientais. O reflexo de tais atitudes foi que Howard desenvolveu uma doença mental que também pode ser causada pelos transtornos de ansiedade, chamada TOC (Transtorno Obsessivo Compulsivo).
Leonardo DiCaprio, que interpreta Hughes, apresenta sérias compulsões, ou seja, rituais repetitivos, preocupação com os germes, principalmente em banheiros públicos, onde lava as mãos várias vezes. Depois de sofrer um acidente de avião, foi necessária uma transfusão de sangue, que só foi realizada porque ele estava inconsciente, pois ele tinha uma preocupação excessiva com as doenças. Quando dirigia um filme tinha a necessidade de revê-lo várias vezes; quando construía os aviões, tinha de passar a mão sobre eles para verificar se estava tudo em tamanha simetria, pois não aceitava imperfeições. Apesar de todos esses problemas, Howard não era excluído pela sociedade, pois tinha poder e influência. Geralmente os portadores de deficiências físicas não recebem apoio, são abandonados pela família, amigos e se isolam, dificultando o seu convívio junto à sociedade. No caso de Howard, o isolamento foi uma conseqüência da doença.
As Leis existem e servem para promover e facilitar o convívio social das pessoas com deficiências, porém muitas não são respeitadas. O Brasil é considerado um dos países que tem a melhor legislação referente às pessoas portadoras de deficiência. A legislação brasileira prevê e assegura o direito de ir e vir dos cidadãos. O Ministério Federal na Bahia (MPF/BA) pediu para as companhias aéreas TAM, Web Jet e Gol para proporcionar maior acesso às pessoas com deficiência física e mental no sistema de transporte aéreo. A Lei 10.098 (19/12/200) promove a acessibilidade para pessoas portadoras de deficiência ou mobilidade reduzida. Tarefas simples do cotidiano a serem executas por pessoas sem deficiência, podem ter um grau maior de dificuldade para aqueles que possuem qualquer tipo de deficiência, basta caminhar pelas ruas, entrar um elevador, num prédio, usarem o transporte público, hospitais, taxi e até mesmo dentro de casa.
Quando se trata de educação, a escola não está preparada para receber as pessoas portadoras de deficiência, pois os professores e funcionários não estão capacitados. As autoescolas não possuem carros adaptados. As empresas têm trabalhado junto as ONGs para incluir e preparar as pessoas com deficiência no campo profissional. Devemos ter cuidado com a linguagem, ou seja, usar termos incorretos pode gerar discriminação em relação às pessoas com deficiências. A informação é o único jeito de quebrar o preconceito.















Resenha sobre o filme “O Aviador”
Ione Bolkenhagen
O nome original do filme é “The Aviator ”(O Aviador), é do gênero biografia/drama, tem origem nos Estados Unidos e foi lançado em 2004. O tempo de duração é de 170 minutos e a direção é de Martin Scorsese. O elenco principal é composto por Leonardo DiCaprio, interpretando Howard Hughes, Cate Blanchett, Kate Bechinsale e Gwen Stefani. Os principais prêmios e indicações que recebeu foram: Oscar, Globo de Ouro, Bafta, Prêmio Saturno e MTV- Movie Awards.
A história é baseada em fatos reais e conta a vida de Howard Hughes, que foi aviador, engenheiro, industrial, produtor de cinema, diretor cinematográfico e um dos homens mais ricos do mundo. Sua vida foi bem agitada com todas as suas manias e desejos, amantes e acessos de loucura. Na infância, a sua mãe o superprotegia, isolando-o de todos os germes ambientais. O reflexo de tais atitudes foi que Howard desenvolveu uma doença mental que também pode ser causada pelos transtornos de ansiedade, chamada TOC (Transtorno Obsessivo Compulsivo).
Leonardo DiCaprio, que interpreta Hughes, apresenta sérias compulsões, ou seja, rituais repetitivos, preocupação com os germes, principalmente em banheiros públicos, onde lava as mãos várias vezes. Depois de sofrer um acidente de avião, foi necessária uma transfusão de sangue, que só foi realizada porque ele estava inconsciente, pois ele tinha uma preocupação excessiva com as doenças. Quando dirigia um filme tinha a necessidade de revê-lo várias vezes; quando construía os aviões, tinha de passar a mão sobre eles para verificar se estava tudo em tamanha simetria, pois não aceitava imperfeições. Apesar de todos esses problemas, Howard não era excluído pela sociedade, pois tinha poder e influência. Geralmente os portadores de deficiências físicas não recebem apoio, são abandonados pela família, amigos e se isolam, dificultando o seu convívio junto à sociedade. No caso de Howard, o isolamento foi uma conseqüência da doença.
As Leis existem e servem para promover e facilitar o convívio social das pessoas com deficiências, porém muitas não são respeitadas. O Brasil é considerado um dos países que tem a melhor legislação referente às pessoas portadoras de deficiência. A legislação brasileira prevê e assegura o direito de ir e vir dos cidadãos. O Ministério Federal na Bahia (MPF/BA) pediu para as companhias aéreas TAM, Web Jet e Gol para proporcionar maior acesso às pessoas com deficiência física e mental no sistema de transporte aéreo. A Lei 10.098 (19/12/200) promove a acessibilidade para pessoas portadoras de deficiência ou mobilidade reduzida. Tarefas simples do cotidiano a serem executas por pessoas sem deficiência, podem ter um grau maior de dificuldade para aqueles que possuem qualquer tipo de deficiência, basta caminhar pelas ruas, entrar um elevador, num prédio, usarem o transporte público, hospitais, taxi e até mesmo dentro de casa.
Quando se trata de educação, a escola não está preparada para receber as pessoas portadoras de deficiência, pois os professores e funcionários não estão capacitados. As autoescolas não possuem carros adaptados. As empresas têm trabalhado junto as ONGs para incluir e preparar as pessoas com deficiência no campo profissional. Devemos ter cuidado com a linguagem, ou seja, usar termos incorretos pode gerar discriminação em relação às pessoas com deficiências. A informação é o único jeito de quebrar o preconceito.































Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário